Pensando como um negro – FINALISTA do 62º prêmio Jabuti

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) acaba de divulgar os finalistas do 62º Prêmio Jabuti. Para conferir a lista, que traz os livros em ordem alfabética, clique aqui. 

E o título Pensando como um negro: ensaio de hermenêutica jurídica, do autor Adilson José Moreira, está entre os 5 finalistas da categoria ciências sociais.

Os vencedores de cada uma das 20 categorias e o ganhador do Livro do Ano serão conhecidos ao vivo, no dia 26 de novembro, às 19h, em cerimônia virtual que será transmitida no Facebook e no Youtube da CBL. Outro destaque desta edição é a homenagem a uma das maiores poetisas e escritoras brasileiras, Adélia Prado.
“É uma honra poder homenagear Adélia Prado, uma das mais importantes escritoras do Brasil. Em 1978, ela foi premiada com seu livro de poemas, “O Coração Disparado”. E, ao longo de sua trajetória, Adélia também outras condecorações nacionais e internacionais, como o Prêmio Canadense de Poesia, o Griffin. O Prêmio Jabuti não poderia deixar de prestar essa homenagem”, comenta Vitor Tavares, presidente da CBL.

Em 2020, o Prêmio Jabuti recebeu 2.599 inscrições. As categorias seguem distribuídas em quatro eixos: Literatura, Ensaios, Livro e Inovação. Cada uma delas contou com três jurados, profissionais especialistas nas respectivas áreas. São ao todo 60 jurados, com formações diversas e com conhecimento profundo e extenso do universo do livro.